(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Setores de petróleo e minério puxam queda da produção industrial capixaba Resultado da produção industrial

Ainda que negativo, o resultado do ES no semestre (-1,2%) foi melhor do que a média nacional, que teve retração de 2,2% no mesmo período. Petrobras: Plataforma FPSO Cidade de Anchieta, no campo de Baleia Azul A indústria geral capixaba retraiu 1,2% no primeiro semestre do ano, na comparação com o mesmo período do ano […]

setores de petroleo e minerio puxam queda da producao industrial capixaba resultado da producao industrial

Ainda que negativo, o resultado do ES no semestre (-1,2%) foi melhor do que a média nacional, que teve retração de 2,2% no mesmo período.

Petrobras: Plataforma FPSO Cidade de Anchieta, no campo de Baleia Azul

A indústria geral capixaba retraiu 1,2% no primeiro semestre do ano, na comparação com o mesmo período do ano passado. A queda foi resultado do desempenho da indústria extrativa (-12,6%), que foi impactada pela menor produção de petróleo, gás natural e minério de ferro.

Ainda que negativo, o resultado do Espírito Santo no semestre foi melhor do que a média nacional que teve recuo de 2,2% no mesmo período. Os dados da Produção Industrial Regional (PIM-PF) foram divulgados na terça-feira, dia 9, pelo IBGE e compilados pelo Observatório da Indústria da Findes.

De acordo com dados da Agência Nacional de Petróleo (ANP), a extração de óleo no Espírito Santo recuou 30,1% no primeiro semestre deste ano, enquanto a de gás natural reduziu em 31,9%.

“Por outro lado, a indústria de transformação cresceu 4,4% no mesmo período, puxada pelo desempenho positivo da fabricação de produtos alimentícios (12,1%), da produção de celulose, papel e produtos de papel (10,9%) e da metalurgia (3,3%)”, comenta a gerente-executiva do Observatório da Indústria e economista-chefe da Findes, Marília Silva.

Leia também:  Empresários podem ter acesso a crédito facilitado.

A presidente da Findes, Cris Samorini, explica que a expectativa para o desempenho da indústria nacional e capixaba para os próximos meses é mais positiva.

“Temos alguns bons indicadores que estamos acompanhando. Entre eles a criação de mais de 200 mil postos de trabalho formais na indústria nacional e de 4,8 mil apenas no nosso Estado.”

Cris pondera ainda que caso as medidas governamentais de estímulo fiscal sejam mantidas, como a redução do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI), isso irá contribuir para fortalecer a indústria capixaba e nacional.

“O governo federal havia anunciado a redução do IPI, mas nesta semana fomos surpreendidos com a decisão liminar do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes de suspender os benefícios. Isso muito nos preocupa, uma vez que trará grande impacto na indústria nacional, afetando o ritmo de retomada da economia e, por consequência, a geração de empregos.”

Cenário nacional

No primeiro semestre de 2022, a indústria brasileira acumulou queda de 2,2%, puxada tanto pela redução na indústria extrativa (-3,3%), quanto pela de transformação (-2,1%). Os resultados negativos se estenderam em todas as quatro grandes categorias econômicas e em 18 das 26 atividades industriais pesquisadas.

Leia também:  Vila Velha vai ser o porto de 3 mil carros elétricos

Os ramos industriais que registraram os piores desempenhos foram: veículos automotores, reboques e carrocerias (-5,4%); produtos de metal (-12,1%); produtos de borracha e de material plástico (-10,0%); e máquinas, aparelhos e materiais elétricos (-14,6%). – Com informações do Observatório da Indústria da Findes.

Por Siumara Gonçalves

Foto: Divulgação

Pesquise em Notícias

Se você não encontrou o que busca em, tente fazer uma pesquisa abaixo.