Guerino: “Temos um governo socialista que aumentou a fome e a pobreza no ES”.

O capixaba está mais pobre e com uma renda média per capita abaixo da média nacional. A constatação é do pré-candidato ao Governo do Estado Guerino Zanon (PSD), que analisa a recém divulgada  Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2021. Segundo o estudo, a renda média domiciliar per capita do capixaba diminuiu se comparada […]

Por Adwalter Brunow

Compartilhe:
  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Pinterest
  • WhatsApp
  • Telegram

guerino temos um governo socialista que aumentou a fome e a pobreza no es

O capixaba está mais pobre e com uma renda média per capita abaixo da média nacional. A constatação é do pré-candidato ao Governo do Estado Guerino Zanon (PSD), que analisa a recém divulgada  Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2021. Segundo o estudo, a renda média domiciliar per capita do capixaba diminuiu se comparada à da média nacional e, com isso, mais moradores do Estado entraram na linha da pobreza – crescimento também acima da média nacional.

Para o ex-prefeito de Linhares, apesar de 2021 ter sido um ano de pandemia, a má gestão do atual governo fez com que os efeitos do vírus na economia fossem ainda mais devastadores. “São números chocantes. Essa é a herança que este governo socialista deixa para o Espírito Santo. A Pnad mostra ainda que a renda domiciliar per capta aqui é menor do que a média nacional: R$ 1.280 reais no Espírito Santo, enquanto no Brasil esse valor é de R$ 1.353,00. O que aconteceu com o Estado que se orgulhava de ser um dos mais desenvolvidos do país?”, questiona Guerino.

Leia também:  Mudança em regimento para barrar ‘sessões de vergonha’

A Pnad 2022 mostra que 14,2% da população do Espírito Santo passaram a viver na pobreza e na extrema pobreza. São 580 mil capixabas pobres ou extremamente pobres. Não se via um número tão alto de pessoas nessas condições desde 2009 – ou seja, perdemos 13 anos no combate à pobreza na atual gestão. Em 2020, o percentual de pobres e de extremamente pobres no ES era de 8,5% – um crescimento de 5,7%, acima, portanto, da média nacional, que foi de 5%.

Entre os quatro estados da Região Sudeste, o Espírito Santo foi onde a pobreza mais cresceu. Se aqui o crescimento foi de 5,7%, em Minas Gerais foi de 4,4%, no Rio de Janeiro 3,4% e em São Paulo, o crescimento da linha da pobreza foi de 2,5%.

Em números absolutos, hoje são 250 mil capixabas que mal conseguem se alimentar; dados segmentados dos extremamente pobres. Isso significa que na gestão atual de Renato Casagrande (PSB) 100 mil pessoas entraram nessa estatística de miséria no Estado – são os considerados extremamente pobres.

Leia também:  Deputada cobra ações de proteção do gado contra tuberculose e brucelose

“Muito provavelmente o Governo vai colocar a responsabilidade na pandemia. Mas o que ele fez para mudar esse cenário? Nada. Fechou comércio e se acomodou com auxílio do Governo Federal. Não pensou em políticas públicas. Hoje são 580 mil capixabas pobres e extremamente pobres”, destaca Guerino.

O pré-candidato acredita que é possível virar o jogo e melhorar as condições de vida dessas pessoas. Para ele, é fundamental ter uma política social eficiente e acompanhar de perto a evolução dessas famílias. “É preciso planejar um programa de Renda Básica. É para garantir o mínimo que uma família precisa para sobreviver: alimentação, gás, conta de luz. Não tem política social melhor que o emprego. Mas não podemos fechar os olhos para um grupo de pessoas – que foi duramente ignorado pelo atual governo socialista – que precisa de ajuda urgente para sair dessa situação de miséria”.

E acrescenta: “Não podemos apenas dar o básico para essas famílias. Temos que acompanhá-las de perto. Elas precisam de um plano com objetivos e metas, prevendo, por exemplo, a entrada delas no mercado de trabalho. É preciso valorizar políticas de empreendedorismo, priorizar a entrada e o acesso dessas famílias ao Sine, programas de microcréditos específicos, fortalecer a parceria com os municípios. O melhor programa social é aquele que tem porta de entrada, mas que também tem porta de saída!”, pontuou o pré-candidato ao Palácio Anchieta.

Compartilhe:
  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Pinterest
  • WhatsApp
  • Telegram

Possui dúvidas sobre o site, critícas ou sugestões? Fale conosco!

Patrocinado

Pesquise em Notícias

Se você não encontrou o que busca em, tente fazer uma pesquisa abaixo.