Aberto corredor humanitário para Mariupol, dizem autoridades locais

A cidade é alvo da maioria dos ataques do exército russo

Por Redação Jornal da Serra

Compartilhe:
  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Pinterest
  • WhatsApp
  • Telegram

As autoridades ucranianas anunciaram ter conseguido abrir um corredor humanitário para levar alimentos e medicamentos a Mariupol, no leste do país, uma das cidades alvo de mais ataques do exército russo desde o início da ofensiva militar.

“Corredor verde aberto. Uma caravana humanitária partiu de Zaporizhia para Mariupol”, anunciaram as autoridades locais na conta da rede social Telegram, acrescentando que “mais de 90 toneladas de alimentos e medicamentos vão para a cidade, que está bloqueada há 11 dias”.

Aberto corredor humanitário para Mariupol, dizem autoridades locais

© Social media. Twitter @AyBurlachenko via REUTERS

Na mensagem publicada dizem ainda que “o clero da Igreja Ortodoxa tomou a iniciativa de acompanhar pessoalmente a caravana humanitária. Tudo para que 400 mil moradores de Mariupol recebam uma ajuda crítica e tão esperada!”.

As autoridades ucranianas acertaram com as autoridades russas a abertura de sete corredores humanitários para evacuar a cidade, retirar os civis e fornecer alimentos a várias cidades ucranianas sob ataques dos russos, mas esses corredores não têm funcionado como acordado e ambos os lados se culpam pelo bloqueio.

Leia também:  EUA fecham embaixada em Belarus e recomendam deixar a Rússia

Mariupol, cidade com cerca de 500 mil habitantes no leste da Ucrânia e às margens do mar interior de Azov, é um importante centro industrial do país.

A Rússia lançou em 24 de fevereiro ofensiva militar na Ucrânia que já causou pelo menos 549 mortos e mais de 950 feridos entre a população civil e provocou a fuga de 4,5 milhões de pessoas, entre as quais 2,5 milhões para os países vizinhos, segundo os mais recentes dados da ONU.

A invasão russa foi condenada pela comunidade internacional que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e reforço de sanções econômicas a Moscou.

Por RTP – Kiev (Ucrânia)

Compartilhe:
  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Pinterest
  • WhatsApp
  • Telegram

Possui dúvidas sobre o site, critícas ou sugestões? Fale conosco!

Patrocinado

Pesquise em Notícias

Se você não encontrou o que busca em, tente fazer uma pesquisa abaixo.