Fila noturna de adesão ao processo contra BHP

“Centenas de pessoas dormem na fila para inscrição no processo contra a BHP na Inglaterra”, publicou o site do ‘Jornal Folha 1’, e informa que: – O prazo para inscrição termina na próxima sexta-feira, 1º de abril. De olho na possibilidade de conseguirem uma boa indenização no processo contra a BHP Billiton, que corre na […]

Por Wendon Santos Almeida

Compartilhe:
  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Pinterest
  • WhatsApp
  • Telegram
Rede Integrada de Segurança da Serra

“Centenas de pessoas dormem na fila para inscrição no processo contra a BHP na Inglaterra”, publicou o site do ‘Jornal Folha 1’, e informa que: – O prazo para inscrição termina na próxima sexta-feira, 1º de abril.

De olho na possibilidade de conseguirem uma boa indenização no processo contra a BHP Billiton, que corre na Inglaterra, centenas de pessoas chegam a dormir na fila para inscrição no processo, que em Baixo Guandu está sendo feita no escritório da PGMBM localizado na avenida 10 de abril.

fila noturna de adesao ao processo contra bhp

O prazo para inscrição termina na próxima sexta-feira, 1º de abril. Este processo refere-se ao Caso Samarco, decorrente do rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG), ocorrido em 2015 e que causou o maior desastre ambiental da história do país, afetando toda a bacia do rio Doce e região estuarina.

O escritório internacional de advocacia PGMBM entrou em 2018 com um processo contra a BHP na Inglaterra, que foi rejeitado em primeira instância, mas um recurso garantiu uma nova análise sobre o caso, que começa na Corte Inglesa no próximo dia 2 de abril.

Leia também:  Administração Guerino Balestrassi: 18 meses de caos administrativo.

A estimativa é que 200 mil pessoas e entidades tenham se inscrito no processo, cujo pedido é de uma indenização de 5 bilhões de libras, o que equivale a aproximadamente R$ 32 bilhões.
Se a justiça inglesa admitir julgar o caso, a sentença deve sair dentro de aproximadamente 12 meses, mas existe a possibilidade de um “acordo” entre a BHP e a PGMBM que pode abreviar o prazo para a provável indenização.

A firma PGMBM está mantendo escritórios para inscrição no processo apenas em Governador Valadares, Colatina e Baixo Guandu, razão de tanto movimento na cidade nos últimos dias. A grande maioria das pessoas que estão se inscrevendo agora residem ao longo de toda bacia do rio Doce.

Compartilhe:
  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Pinterest
  • WhatsApp
  • Telegram

Possui dúvidas sobre o site, critícas ou sugestões? Fale conosco!

Patrocinado

Pesquise em Notícias

Se você não encontrou o que busca em, tente fazer uma pesquisa abaixo.