Expedição Rio Doce

Campanha PAE nas Escolas investe no protagonismo de estudantes como multiplicadores de informações sobre a cultura da segurança e prevenção

No mês de novembro quatro escolas de Baixo Guandu e cerca de 235 alunos foram sensibilizadas sobre a importância da preservação do sistema de alerta. Com o objetivo de fortalecer a cultura de segurança nas comunidades sobre o Plano de Ação de Emergência (PAE) da Usina Hidrelétrica de Aimorés, localizada na bacia do Rio Doce, […]

Por Adwalter Brunow

Compartilhe:
  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Pinterest
  • WhatsApp
  • Telegram

campanha pae nas escolas investe no protagonismo de estudantes como multiplicadores de informacoes sobre a cultura da seguranca e prevencao 1

No mês de novembro quatro escolas de Baixo Guandu e cerca de 235 alunos foram sensibilizadas sobre a importância da preservação do sistema de alerta.

Com o objetivo de fortalecer a cultura de segurança nas comunidades sobre o Plano de Ação de Emergência (PAE) da Usina Hidrelétrica de Aimorés, localizada na bacia do Rio Doce, o Grupo de Trabalho (GT), formado por representantes da Defesa Civil Municipal, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Aliança Energia realizou nos últimos meses a campanha PAE nas Escolas, com uma série de atividades em instituições de ensino da cidade.

Ao longo do mês de novembro, quatro escolas de Baixo Guandu e seis da cidade vizinha, Aimorés, foram visitadas por um representante do GT que demonstrou como é possível cada um ajudar a fortalecer a cultura de segurança na região. No dia 01 de dezembro, às 8h30 e às 14h, será realizada mais uma ação. Desta vez, a visita acontece na Escola Municipal E.I.E.F. Professor José Nunes (Rua Sebastião Cândido de Oliveira, 306 – Centro), com a expectativa de participação de 93 alunos do quarto e quinto anos do ensino fundamental.  Na oportunidade, eles receberão informações sobre o PAE e a manutenção do sistema de alerta, constituído por sirenes e placas que sinalizam as rotas de fuga e os pontos de encontro, estruturas consideradas patrimônios públicos e benefícios para toda a comunidade.

Todo o trabalho é realizado de forma lúdica, dinâmica e com entrega de material informativo. A ideia é que os estudantes levem as informações para casa, ajudando a disseminar e reforçar a informação com as famílias. A expectativa é alcançar 1.500 crianças até o final do ano. Só no mês de novembro, até o momento, o Programa PAE nas Escolas já contou com a participação de 865 alunos em Aimorés – MG e Baixo Guandu – ES.

“Essa será uma das últimas escolas a serem sensibilizadas em 2022. Com o retorno das atividades escolares, em 2023, as visitas serão retomadas. Essa iniciativa visa explicar o que é o PAE e, principalmente, sensibilizar as pessoas sobre a necessidade e a importância de que cada indivíduo da comunidade se sinta responsável por preservar o sistema de alerta. Trabalhamos na campanha do PAE em 2022, justamente esse tema: o papel de cada um de nós na preservação do sistema de alerta. Buscamos fortalecer o compromisso das pessoas em ajudar a preservar essas estruturas que são um patrimônio público”, destaca Sandro Brandião, coordenador da Defesa Civil de Baixo Guandu.

Campanha PAE 2022

Com diferentes atividades, o objetivo da campanha é multiplicar e perpetuar a cultura da segurança e da prevenção nas comunidades onde a Aliança está presente.

Garantir a segurança das barragens é um dever da Aliança que vem sendo cumprido com rigor. Como parte dessa responsabilidade, a companhia segue a legislação vigente, que inclui o Plano de Ação de Emergência (PAE), onde são estabelecidas as medidas de prevenção e de atuação que devem ser adotadas em casos de emergência. A informações contidas nesse plano chegam até as comunidades por meio de campanhas de conscientização realizadas periodicamente.

 

Segundo o analista de Relacionamento com a Comunidade da Aliança Energia, Rubens de Souza, a cada ano, os grupos de trabalho do PAE definem as ações que serão executadas durante o ano junto aos moradores dos municípios localizadas abaixo das barragens das hidrelétricas. “Atuamos de forma integrada nos GTs do PAE da UHE Aimorés e UHE Funil, que são compostos por representantes da Aliança, Defesa Civil, Prefeituras, Corpo de Bombeiros e Polícia Militar. Em 2022, além dos habituais testes de sirenes, a campanha atuou também junto às comunidades escolares”, explica Rubens.

Preservação e segurança andam juntas

Uma das fragilidades identificadas pelo GT em Baixo Guandu foi a ocorrência de vandalismo no sistema de alerta, em especial nas placas de sinalização. Além de efetuar a reparação das estruturas danificadas, foi iniciado um intenso trabalho de conscientização junto às comunidades, sobre a importância de preservar os sistemas de alerta. Por meio de um guia produzido pelo GT, as comunidades recebem informações sobre como agir preventivamente em caso de emergência com as barragens.

Nesse material, uma solução inovadora foi colocada em prática, utilizando tecnologia como alternativa para facilitar a identificação dos pontos de encontro. Por meio de QR Codes é possível acessar o aplicativo de mobilidade Google Maps e conferir a rota de fuga para chegar até ao ponto de encontro mais próximo do local em que estão.

Compartilhe:
  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Pinterest
  • WhatsApp
  • Telegram

Possui dúvidas sobre o site, critícas ou sugestões? Fale conosco!

Patrocinado

Pesquise em Notícias

Se você não encontrou o que busca em, tente fazer uma pesquisa abaixo.